Sobre mortos-vivos e empresas humanas

Por segunda-feira, novembro 23, 2015 1 No tags Permalink 0

O jeito que eu mais gosto de descansar a mente depois de um dia de trabalho é lendo um livro ou assistindo séries. A da vez é The Walking Dead. Para os que também acompanham, aviso que não precisam ficar com medo das próximas linhas… este post é livre de spoilers. Rs

Estou bem longe de ser crítica de cinema ou qualquer coisa desse tipo, mas de tudo que assisto eu faço algumas “análises” e tento extrair algo que acrescente na minha vida. Dou um jeito de ser produtiva até nos meus momentos de lazer. Há quem ache perda de tempo, mas eu acredito que quando canalizada de forma inteligente, qualquer coisa vira repertório, bagagem cultural.

Quando temos a mente aberta, até mesmo uma série cheia de zumbis ávidos por um bom pedaço de carne humana pode servir de inspiração. É só olhar com um pouco mais de profundidade e atenção.

Mais do que uma luta diária pela sobrevivência matando zilhões de zumbis a cada episódio, cada uma das personagens traz consigo uma história de vida, o caminho que os levou até chegar no grupo. Ao longo das temporadas, fui conhecendo e torcendo mais para alguns, não gostando de outros…, mas um, em especial, tem despertado o meu interesse.

Ele surgiu lá nos primeiros capítulos, quando a loucura toda ainda estava começando. E acabou reaparecendo algumas temporadas depois, e só agora foi apresentada a sua história.

O nome dele é Morgan: o cara que vai fazer você perceber semelhanças entre The Walking Dead e a sua empresa.

Quer sobreviver? Fuja dos “errantes”

Esse é um lema de TWD que serve perfeitamente para a sua empresa também. O relacionamento, a preocupação, a inteligência emocional e a empatia é o que tornam a sua empresa mais humana – nenhum ser inanimado, ou morto-vivo, possui essas qualidades.

Uma grande amiga minha carrega na descrição das suas redes sociais que é “mais um coração batendo no mundo”. Acho isso lindo. É vida, sentimento, emoção, amor. Uma empresa tem que ser um coração batendo no mundo. Ela tem que ser a responsável por proporcionar sensações e experiências únicas, inesquecíveis ao seu cliente. Quando mais a sua empresa fizer isso, menos será como uma chave de porta de hotel – mas isso já é assunto para o próximo post. Neste aqui, vamos seguir na analogia com TWD que eu já te mostro onde eu quero chegar.

Falando de um jeito muito objetivo, um “errante” tem um coração inanimado e esta é a última coisa que você quer ter num mundo em que as empresas mais humanas ganham um espaço cada vez maior na memória e na preferência dos consumidores.

Em outro post, falei sobre se importar de verdade com o seu cliente e em resolver a suas objeções. Por que fazer isso?

Se você entender este simples conceito, as coisas farão sentindo de um jeito muito mais fácil para você:

Importe-se de verdade porque toda vida é preciosa.

“All life is precious”

Quando Morgan falou essa frase outro dia, pensei comigo: “é isso!”.

Por que não guardar rancor daquela pessoa que lhe prejudicou de alguma forma?

Por que respeitar as pessoas independentemente do seu credo ou cor?

Por que fazer doações para a população de Mariana-MG, mesmo que você não tenha nada a ver com o que causou essa catástrofe?

Por que valorizar cada pessoa da sua equipe?

Por que tratar cada cliente como se fosse o único?

Em todas as esferas, em qualquer realidade: a frase que responde é genuinamente verdadeira.

Porque toda vida é preciosa.

"Toda vida é Preciosa" - Morgan, em The Walking Dead

“Toda vida é Preciosa” – Morgan, em The Walking Dead

Mais do que atender bem, refletir sobre essa frase fará você pensar em todos os aspectos da sua vida. Talvez fará você rever a missão, visão e valor da sua empresa. Como você trata algo que é precioso para você?

O seu cliente é precioso demais. O suficiente para ser o ponto-chave do sucesso ou fracasso da sua empresa – a depender de como você o trata e do quanto você se importa. Tudo que você faz é por ele, depende dele, das suas vontades, dos seus anseios e das suas dores. A sua empresa existe para satisfazê-lo. É um bom motivo para você se importar muito com ele. Certo?

Se importar é fazer o que estiver ao seu alcance para atendê-lo com a atenção e o esmero que você trata quem você ama de verdade. Pense nas pessoas mais importantes da sua vida. Não estou dizendo que você deve viver pela sua empresa, mas a sua empresa deve tratar os seus clientes como as pessoas mais importantes da vida dela.

Desde o bom dia, da simples resposta no e-mail ao relacionamento diário com novos, antigos e futuros clientes, pense em tudo o que você pode fazer para tornar a experiência de comunicação inesquecivelmente… humana.

Sinta o sangue correr nas veias, sendo bombeado por um coração que fará de você uma empresa pulsante, que não é apenas mais uma sobrevivente no meio de tantas outras que foram vítimas dos “errantes”, contagiadas pela ambição cega, pelo descaso e pela indiferença com as pessoas. Neste jogo, mantenha-se acaloradamente vivo. Afinal, a recíproca sempre será verdadeira para pessoas e negócios, desde que ambos tenham vida. E o Morgan soube se expressar maravilhosamente bem quando disse que toda vida é preciosa.

 

 

Gostou desse post?
Você pode receber direto no seu e-mail toda vez que tiver conteúdo novo por aqui. Eu nunca vou compartilhar os seus dados com ninguém e também odeio spam.
  • Franklin Lima

    “Porque toda vida é preciosa!”. Essa frase é o mais importante a ser dirado desse F.A.N.T.Á.S.T.I.C.O. artigo! Muito grato por compartilhar seu conhecimento conosco, Rebeca! Dá próxima vez, não fala de zumbi. Isso me apavora kkkk. Parabéns!!!!