O que é premissa e por que é decisiva para o conteúdo da sua oferta

Definir a premissa é o primeiro passo e o mais importante para a construção de um texto persuasivo

Um dos erros mais comuns que cometemos na hora de escrever uma oferta é nos basear apenas no nosso “feeling”, sem realmente conhecer qual é a dor do cliente. Não importa o quão encantador seja o seu texto, se você ignorar uma palavra que é a chave de tudo: premissa. É ela que vai dar a base para você entender de verdade o porquê do seu produto e, assim, poder atender às dúvidas e solicitações dos seus clientes com coerência e segurança.

A sua mensagem deve corresponder à forma que o avatar (público-alvo) pensa e vê as coisas. Um texto envolvente pode ser produzido quando você entender as motivações e desejos do seu cliente. Assim, você verá como é fácil atingir as expectativas básicas para depois superá-las.

A premissa é o conceito emocional que não apenas atrai a atenção, como mantém o engajamento através de cada elemento da sua landing page, desde as imagens aos textos. É o que conduz o leitor do título para o #call-to-action , mantendo tudo redondo e coerente como um encantamento, coeso através de uma narrativa persuasiva com apenas uma simples e inevitável conclusão: a sua ação desejada.

Alguns passos simples ajudam você a definir a premissa:

 1. Comece pelo público, não pelo produto

A única forma de você saber se o seu produto será aceito pelo mercado é conhecendo quem compra. Por isso, pesquise. MUITO. Definir o seu público corretamente faz uma diferença enorme – eu pude perceber isso muito claramente quando realizei o meu primeiro Congresso. Ele me trouxe resultados muito positivos, mas com certeza traria mais se eu tivesse estudado o meu público mais a fundo.

Mostre-me o que uma pessoa admira, e eu te direi tudo o que realmente importa sobre ela. E depois você saberá como conectá-los.
Roy Williams

Como você descobre o que as pessoas querem? O Google e as redes sociais ajudam muito. Converse com pessoas. Entenda os seus dramas. Identifique as necessidades. Saiba que tipo de pessoas o seu avatar admira, quem ele deseja ser, do que têm medo, o que despreza e o que preza. Identificando os personagens, ou as personas, você perceberá se o seu produto é aderente ou não, e poderá contar uma história autêntica sobre ele.

 2. Storytelling: dê força ao seu produto contando uma história inédita

Quando se conhece as coisas que o público acredita e a sua visão de mundo, é possível criar uma história que soa tão forte para eles que você pode aproveitar uma vantagem “desleal” em relação à concorrência. Além de estimular o desejo e manter a credibilidade, eles serão os advogados da sua marca e os principais responsáveis pelo seu crescimento.

Uma premissa matadora tem como base um bom conceito.E quanto mais tempo você investe entendendo as pessoas com as quais precisa falar, melhor você contará a história do seu produto para eles, criando, por consequência, um conceito forte.

Eu sei que, à primeira vista, pode parecer difícil contar uma história incrível quando você tem tantos concorrentes no mercado. Mas, por mais que os concorrentes tragam os mesmos benefícios, quantos deles contam uma história envolvente sobre isso? É aí que mora o segredo: depende de como a história é contada. A forma que você comunica uma ideia ou benefício em cada mensagem é o que torna o seu produto diferente. Por isso, conte a história que ninguém está esperando ouvir, ou nunca ouviu até agora. Pense no seu diferencial. Ele pode estar na forma que você produz onde consegue a sua matéria-prima, alguma curiosidade a respeito do surgimento da sua empresa, etc.

 3. Entenda o que, de fato, é uma oferta

Depois que você entende quem é o seu público, o interesse incondicional por ele faz você criar uma conexão com o centro emocional de cada um deles. Portanto, depois de estabelecer esta relação, a oferta deve ser a sua maior preocupação. Mas entenda que oferta não é preço, e sim uma oportunidade para diminuir riscos e minimizar impactos negativos na vida do seu cliente. Enriqueça ainda mais a sua oferta aumentando o senso de urgência, adicionando bônus e utilizando todos os recursos que estão ao seu dispor para melhorar a experiência do usuário sempre.

A fórmula mágica da premissa

Depois de passar por cada um dos passos acima, você está pronto para aplicar esta fórmula em todo e qualquer conteúdo que produzir para o seu produto:

fórmula da premissa

 

Visão de mundo do cliente + mercado + benefícios + prova + call to action

Tudo isso em uma mensagem simples e persuasiva.

As pessoas acreditam naquelas premissas que são coerentes com a sua visão de mundo e suas crenças. Conhecendo o seu público, você entende melhor o mercado e poderá contar uma história ressaltando os benefícios que tem a oferecer, de modo mais atraente. Neste processo, caso já tenha clientes utilizando o seu produto, lembre-se sempre de usar o gatilho mental da aprovação social para reforçar ainda mais a sua credibilidade. Por fim, crie a necessidade com uma chamada para ação poderosa.

A parte do cérebro que toma as decisões é emocional. Se a premissa não funciona emocionalmente, a lógica nunca terá uma chance de converter. É por isso que esses três passos que você aprendeu hoje são fundamentais para começar a desenhar a sua nova premissa.

 

 

Gostou desse post?
Você pode receber direto no seu e-mail toda vez que tiver conteúdo novo por aqui. Eu nunca vou compartilhar os seus dados com ninguém e também odeio spam.
  • http://www.queroemagreceragora.com.br/ FABIO SOUZA

    Excelente Texto Rebeca!!

    • http://www.rebecarocha.com.br Rebeca Rocha

      Obrigada, Fabio! 🙂 Espero que tenha ajudado!

      • http://www.queroemagreceragora.com.br/ FABIO SOUZA

        Excelente mesmo. Me conscientizei agora que entender a persona (a dor dele) é fundamental pra que possamos fazer copys que convertem.